16.2.11

« O que foi verdade e o que é, inevitavelmente, ficcionado, devido aos limites da memória, não importa; em última análise, a propriedade é objecto de ficção. O mais importante é libertar-me dos fantasmas, pois acarreto com as sombras de todas as coisas a que não tive coragem para colocar um fim. Isso reflecte-se, sobretudo, nos meus sonhos: ao contrário da crença habitual, não me parece que os sonhos sejam o espelho dos nossos desejos; cá para mim, acho que os sonhos são o espelho dos nossos horrores, dos nossos piores medos, da vida que poderíamos ter tido se, numa altura ou noutra, não fossemos incumensuravelmente cobardes. »

João Tordo in As 3 Vidas

4 comentários:

Beatriz disse...

Gostei :)

luisinha disse...

o teu blogue continua a ser a melhor coisa do mundo... plim*

Lábios de Caprichos disse...

Descobri o blog através do "letras no caminho" e... viciou-me! :)

Marta ☮ disse...

O teu blogue é tão lindo *:)
Vou seguir <3