6.1.11

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
(...)
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.


Álvaro de Campos in Poesias de Álvaro de Campos

8 comentários:

U disse...

O futurismo é abismal!
Fernando Pessoa, eterno Senhor.

U disse...

O futurismo é abismal!
Fernando Pessoa, eterno Senhor.

*Erika Rayana! disse...

oiii.. seu blog é muito fofinhooo..
adorei... tô seguindo viu.. se der segui o meu tbm!

bejin flor s2

KákáChi disse...

Ah o meu poema preferido dele ^^

Mafalda disse...

Eu adoro Fernando Pessoa!

Lua disse...

Simplesmente... Adoro Jessica.
Beijinho, Lua*

Jess disse...

Tive que recitar um poema e foi este que escolhi. É fantástico.

Gisele Braga disse...

Olá Jesica,
Vim fazer uma visitinha e
gostei muito do que vi
por aqui!
Parabéns pelo blog!

Este meu cansaço, que algum tempo
não vai embora, ja virou companhia!
É um sentir tão indefinito,
meio oco...
Esperando um pouco da tristeza
passar...
Este poema é lindo lindo,
e me identifiqueimuito...

Beijos flor!
Tenha um
Domingo abençoado!